quinta-feira, novembro 09, 2006

Querer



Ela queria fundir seu espírito no tronco de uma árvore e virar seiva. Queria ter a liberdade de se esconder no escuro das raízes nos dias de medo, ver a vida correr tranqüila da altivez do tronco nos dias normais. E sim, nos dias de alegria intensa, percorrer inebriada pelas follhas em suas alturas de galhos. Mas, principalmente, queria um outono glorioso do prazer das folhas vermelhas brilhando contra o céu azul, um protesto mudo de glória e de vida.

6 comentários:

Anônimo disse...

lindo texto,esperada volta.que bom.

Anônimo disse...

Interessante o vermelho,
interessante o vermelho no outono...
lord leo.

Lôla disse...

Que bom que vc está de volta, minha querida.
Vermelha, outono e geminiana...
Um abraço saudoso!

ro disse...

Muito bonito, florzuda. Estava com saudade de sua poesia.
Um carinho,
R.

lennon disse...

amo o outono...
que bom que está aki...
beijos...

Bruna_ disse...

eu quero isso.
saudades de você