quarta-feira, outubro 03, 2007

Transformação

E de repente era o amor, borbulhando entre seus dedos. E depois do fim e do mal, depois de morrer no inferno mais de oitenta e oito vezes, havia um horizonte enorme e vida nele. No final do túnel, no final do caminho, no final do sofrimento. Havia um horizonte puro e virgem, havia uma série de novas conquistas e novos prazeres - era o recomeço de tudo.
Era mais, muito mais, que sobreviver.

Um comentário:

Lid disse...

Por onde vc anda, amiga?