sexta-feira, maio 15, 2009

While my Heart is Still Beating

Tem um grande amigo que não foi citado claramente no último post, mas que é muito, muito importante. Ele não tem horas pra ficar comigo no msn, porque ele não tem horas para nada. Coitado, ele mal tem tempo pra comer. Mas nas horas que ele tem para mim, ele tem um ouvido muito doce pra me ouvir e aquela coragem que pouca gente tem: a de dar conselhos. Não conselhos quaisquer, mas baseados na vivência dele, que é longa como a minha e bem dolorosa.
Estou falando do meu professor de derbake, que foi fundamental nesse período bravo. E além de tudo, ele é meu terapeuta, porque dribla minha falta de concentração e desafia meu cérebro, me ajudando a voltar a ser eu mesma, aos pouquinhos.
E só eu sei de quantos dum-dums e takatakas se faz um coração são. Hoje ele estava particularmente endiabrado, enfiando tercinas no meio de ritmos de quatro tempos. Tico e Teco dançaram tanto que se trançaram. Uma aula excelente, como de hábito. Não é a toa que o moço tem ascendente Escorpião.
Mas o que eu achei engraçado é que no meio desses valz (hehe, perdão pelo trocadilho) eu me achava e me perdia, mas no meio da confusão sempre achava meu rumo no baladi. Não importa a velocidade, o que esteja intercalado, o que se passe na minha cabeça: tudo começa e termina em baladi.
Foi quando eu me dei conta: mas bah, meu coração bate baladi!

2 comentários:

Anônimo disse...

Ieeiii!! E o meu bate Saidi!!

andancasdelory disse...

Ai que lindo...