sábado, janeiro 24, 2009

Crespúsculo - um post livremente causado por Ket

Estava no shopping com esposo, assim, meio a esmo. Estava passando "Crepúsculo". Não li nenhum dos dois milhões de livros da série porque atualmente ando sem tempo até para ler blogs, mas lembrei do tanto que a Ket falou desse negócio. Sempre parto do pressuposto de que coisas que apaixonam pessoas inteligentes, por mais que fujam do meu estilo, não podem ser ruins. Resultado: puxei o moço pela mão e entrei no cinema.
Apesar do tema beeeem batido, é uma história muito bem contada, mesmo no cinema. Acho que a escolha do elenco foi particularmente feliz. Mas não fazer resenha, não, vou deixar isso para quem leu mil vezes o livro e decorou o filme. Eu queria falar de um negócio que me intrigou.
Acabei me apaixonando pelo belo vampirinho antes do tempo regulamentar. Aí me encucou o que faria uma mulher de 36 anos suspirar por um ser virtual de eternos 17. Não, não era a adolescente "que mora dentro de mim". Era a mulher mesmo. Aí, puxei pela memória. Já tinha me sentido assim em relação a um homem uma vez. Uma única vez. Então caiu a ficha.
Edward é protetor. Profundamente protetor. Protege Bella dela mesma. Chega a ser invasivamente protetor: usa seus poderes para entrar no quarto dela e observá-la no sono. Preocupa-se, enfim, mais com ele do que com ela mesma.
Talvez para algumas mulheres isso seja um caso de possessividade profunda, digno de advertência de alguma DDM. Mas, eu, pelo menos, confesso: é meu maior sonho de consumo emocional. O que leva uma mulher maior de idade, vacinada, estabilizada e independente querer tanto um superpai protetor do lado (ok, eu confesso, meu pai era um e eu sou uma super Electra assumida) eu não sei dizer.
Mas levando em conta o sucesso do filme, não devo ser a única.

7 comentários:

Naznin disse...

Oi Samara!

Vi seu blog lá no blog da Luana e gostei do teu espaço. Eu também sou aluna de dança do ventre, admiro demais a dança.
Também tenho um blog, se quiser dar uma olhada é o www.belladanca.blogspot.com.
Vou passar mais vezes por aqui.

bjinho

Luana Mello - Dança do Ventre disse...

Olha, eu que sou uma metida a besta e pseudo-intelectual-dos-infernos, li o primeiro livro - por indicação da Ket, rs - e terminei reclamando:

É um romancezinho idiota, uma mistura da coleção Sabrina com Garotos Perdidos, é clichê, cheio de redundâcias, blá blá blá... Mas reclamei lendo os três em menos de duas semanas.

Mulheres...

Luciana Arruda disse...

Oi, obrigada por visitar meu canto!
Engraçado seu post, porque eu saí do cinema toda envergonhada porque na sessão a maioria eram adolescentes...e a tia aqui, com seus 32, babando pelo vampiro, hi,hi...mas enfim, como você, me dei conta que essas coisas, realmente, não têm idade. Ô paixonite boa essa que o Edward causa na gente!
luz para você e tudo de bom nesse caminho da dança da vida!

Nat, ou Katrina de Sarom disse...

Oi Samara!
Eu não vi ainda, pela aversão às "modinhas". Ah, eu sou muito ranzinza ne. Mas, vocês estão quase me animando a ver/ler...

Tem selinho "dardos" pra seu blog também, espero que goste.
Beijos!!

Ket disse...

áhhh *_*
Acho que o amor cuidadoso, protetor e cálido que Edward sente pro Bells, é aquele com que a gente sonha desde pequeninha, e vai suplantando enquanto cresce, por ser coisa 'de contos de fadas'. É nosso desejo mais secreto, nossa vontade mais urgente. Edward é o que nosso coração pede em silêncio...
Acho que esse é um dos prncipais motivos pela saga dar certo, mostrar que apesar de fantasioso, toda garota pode sonhar, que ele exista por aí...
[E acredite, nos 3 livros sequentes, ele fica mais perfeito ainda, se é que é possivel...]

Luana Mello - Dança do Ventre disse...

Hahaha... tô perando o tel do psiquiatra, mas provavelmente vai ser longe pra mim, rsrsrs!

Vou procurar um aqui em sampa mesmo!

Amei o coment!

Giovana disse...

Até tinha ficado curiosa pra assistir, mas depois desisti. Não gosto de romances, menos ainda de homens com carinha de bebê, eheheh. O marido tbm desanimou legal em assistir depois que leu as críticas de uns colegas a respeito do filme. Não tanto pelo filme em si, mas, como jogadores de RPG e bons conhecedores de vampiros, opinaram que o garoto nada tem a ver com vampiro. E, ao que pareceu, irritaram-se com isso.

Mas enfim, eheh. É um filme para mulheres, por sinal deu mto certo. Como o Titanic deu.

Beijo!