sábado, maio 01, 2010

"O Ganso Selvagem", de Ogai Mori





No distante ano 2000, eu era uma graduanda fascinada por literatura e tradução e louca para começar algum trabalho de verdade. A professora Meiko Shimon, que nunca foi de ignorar uma pulsão por trabalho, me solicitou que fizesse uma primeira versão em português da tradução inglesa (The Wild Geese) de uma obra japonesa do período Meiji, cujo autor não tinha nenhum título em português, além de um conto publicado por ela mesma numa coletânea que só era trabalhada dentro da universidade.

Fui até a biblioteca, encontrei o livro, copiei um exemplar para poder rabiscar à vontade (só sei traduzir assim) e fui para casa achando que teria bastante trabalho por alguns meses.

Mas com a professora Meiko nada é simples, raso, nem rasteiro. Em inúmeras reuniões que duraram cerca de seis anos, comparamos minha tradução linha por linha ao original. Descobrimos a supressão de parágrafos inteiros na versão inglesa e a distorção completa de uma imagem. Pesquisamos na biblioteca nos primeiros anos e no Google, mais tarde, para encontrar os termos perfeitos para termos da arquitetura, do vestuário, da fauna e da flora japonesas. Foi um trabalho intenso, o melhor da minha formação e uma experiência de vida inesquecível, como bem sabem todos que já passaram pelas mãos dessa mulher formidável.

Alguns anos depois conseguimos uma editora que demonstrasse interesse em publicar a obra. Apesar de consagrado no Japão, Ogai não é best seller nem autor mais traduzido. O romance tem um estilo tradicional, minucioso e delicado.

Ambientado na Tóquio do final do século XIX, conta a história de Otama, uma jovem linda, culta e de espírito delicado que, na sua ingenuidade acaba se tornando concubina de um agiota para tirar a si mesma e ao pai. velho e cansado, da miséria. O agiota Suezo não é um homem feio, nem violento. Mas o concubinato com um homem detestado por todos e a quem ela não se uniu por amor, lhe propicia uma vida demasiado vazia de significado - o que vai ficando cada vez mais transparente conforme ela amadurece suas percepções e personalidade no ócio e isolamento de uma mulher que não pode ter amizades íntimas, nem vida social regular, nem o consolo do trabalho duro (ao qual ela se adaptara durante a primeira juventude). O encontro com o jovem e belo estudante Okada une o raciocínio delicado de Otama a uma torrente de emoções e paixões - que resultará numa revolução silenciosa, mas muito concreta.





Agora, dez anos depois, depois da revisão da revisão da revisão, a editora Tessitura está lançando nossa tradução numa caprichada edição bilingüe. Ter o exemplar nas mãos, com meu nome impresso na capa, é uma sensação que ainda não assimilei por completo. Procurem nas livrarias, bibliotecas, com amigos. Leiam. Apreciem. E esses dez anos terão valido plenamente a pena.

8 comentários:

Lucinara disse...

Que máximo, querida!!! Orgulho mesmo!

Quero o meu exemplar autografado, hein?

Já vou sair a procurar na livraria!

Beijos!!!

Ket, la Blair disse...

Sami-chan!

Vamos começar pelo livro: eu tô muito, muito orgulhosa de ti, desse nome ali na capa... A gente sabe o quanto você valoriza e busca esse reconhecimento de cultura- e o quanto é difícil que ocorra. Da minha parte tu sabe que eu amo o Japão e afins... então ler esse livro vai ser um prazer duplo '-'

Sobre meu post: eu fiquei feliz com tua resposta. Porque me acrescentou muito.
E, você não está na lista das acadêmicas chatas =p Isso porque vc nunca me disse que uma literatura era melhor que a outra. Do contrário, você me incentivou a ler os 'clássicos' como forma de ampliar, não delimitar conhecimento. E eu segui o conselho. Minha birra é com quem denigre um pelo outro, o que não é teu caso =)
Nunca vai ser.

Tua amizade é um bem.
Upa nena!

andancasdelory disse...

Ê amiga! Parabéns, viu? Quero um pra mim. Se não achar aqui em Salvador, vou procurar na net. Bjos.

Anônimo disse...

Nada mais merecido. Parabéns - que este fato seja o catalizador de muitas mudanças.

Zahira disse...

Parabéns!!
Sucesso

casadabrima disse...

êeeeeeeeeeeeeeeeee!!!!!!
Merecido!

casadabrima disse...

êeeeeeeeeeeeeeeeee!!!!!!
Merecido!

Samantha disse...

Parabens... eu AMO literatura japonesa,vou comprar o livro e mandar por sedex pra vc autografar.... :)