sexta-feira, dezembro 17, 2010

Palavreado de final de ano

Sim, este bloguinho está às moscas. Sem conexão em casa, a pessoa não consegue postar com periodicidade. Sem posts periódicos, as pessoas vão deixando de acessar... Como acessando já nem comentavam mesmo, já viu!
Mas tudo bem, faz parte. Não se pode fazer omelete sem quebrar os ovos. E esse ano foi de omeletada!

Não se pode manter um blog decentemente com ocupações diversas (a não ser que ele seja parte do seu trabalho).
Não se pode mudar de estado civil e de casa e manter imediatamente o mesmo padrão de vida (leia-se conexão).
Não se pode investir em tornar-se você mesma sem deixar algumas pessoas pelo caminho.
Ou porque você não aguenta mais ser tratada de determinada forma. Ou porque elas escolheram ir embora. Ou porque você não pode mais ficar ao lado delas por uma questão de coerência e ética.

Esse foi um grande ano de expurgo. Muita gente saiu da minha vida em 2010.
Não, isso não me deixa triste.
Algumas, poucas, vão fazer falta, mas eu aceito a separação como parte do meu destino. Como parte das escolhas que fiz.
O mais curioso, entretanto, é o número gigantesco das que se foram e que não fazem falta nenhuma. Que, na verdade, causaram alívio com sua partida. Descobri, neste ano, que andava cercada de um monte de gente que me sugava, me incomodava e que muitas vezes eu só mantinha por perto para fazer barulho. Porque eu tinha muito barulho dentro de mim.
Mas agora eu silenciei. E eu só estou aceitando interlocutores. Os bons.

Algumas das pessoas que se foram voltarão em curto ou médio prazo, ou ao menos assim eu imagino. Algumas passarão por um longo processo, terão que reavaliar muitas escolhas, antes de poderem voltar a se reaproximar. E outras não voltarão nunca mais. De maneira alguma.
Penso que, se ainda tem interesse sobre mim o suficiente para lerem este blog, algumas devem estar chocadas por eu ter dito em algum momento que gostava muito delas. Ou que as amava. Bom, isso não deixa de ser verdade. De algumas eu ainda gosto muito - mas gosto mais de mim do que do modo como agem comigo (e, por vezes, com os demais).
E as pessoas que eu amo. Bom, quando eu amo, eu amo para sempre, isso é sério. Nunca disse essa frase de modo inconseqüente para quem quer que fosse. Meu Saturno é muito sério para me permitir esse tipo de leviandade - taí uma palavra que eu detesto com todas as forças, leviandade. O que aconteceu, então?
Tenho um grande amigo que costumava dizer da ex-mulher: "Eu a amo, mas não gosto dela." É exatamente isso. Eu passei a não gostar de você por algo que você escolheu fazer. Mas ainda te amo. Do fundo do coração. E provavelmente oro por sua felicidade mais do que você possa imaginar.

Eu não sou uma pessoa fácil de se conviver. Tenho opiniões muito firmes, uma ética própria muito rigorosa, sou muito ciente de mim mesma. E não pretendo mudar.
Se você chegou até o fim de 2010 dentro do meu círculo de relacionamentos, pode ter toda a certeza, você é muito especial para mim. Sobraram muito poucas pessoas.
E quanto menor o círculo se tornou, tanto mais especial se tornou cada indivíduo que ficou.

Se você ainda está do meu lado, é porque provavelmente você realmente me respeita e me admira como sou. Porque você me deixa não estar de bom humor 24 X 7. Porque, se você já se chateou comigo, me disse e resolvemos a questão. Se você ainda está do meu lado, é muito provável que você nunca tenha tentado me mudar. Ou sugerir que isso fosse preciso. (Falo do que eu sou, não de uma ou outra atitude que eu tenha tomado, que eu erro, sim, como todo mundo e muitas vezes são meus amigos que me corrigem o rumo, mas sempre dentro da minha natureza.)

Você, que ainda está comigo, talvez nem tenha tempo para ler esse blog. Talvez nem tenha tempo para se dar conta do quanto significa para mim. Mas está agindo positivamente na minha vida, dia após dia.
Em função disso, claro, algumas pessoas passaram a ter maior importância que outras. Mas isso ainda não é assunto para esse blog.

2 comentários:

Lidi disse...

Nao ha farpa que o tempo e o organismo nao purgue. Comigo 2010 tambem foi assim, gatissima. Que venha um 2011 com os que querem nos dar as maos para construirmos juntos alguma coisa. Auto-destruicao is so 2007.... Beijos e um lindo 2011!!!!!!!

andancasdelory disse...

Quando rola um papinho virtual?