sábado, fevereiro 09, 2008

Sumiço involuntário

Confesso que sumi. Mas não foi uma das pausas para reflexão de antigamente. Pelo contrário. Estão acontecendo muitas, muitas coisas boas na minha vida e não tem sobrado tempo para parar na frente do computador. Vejo os emails, no máximo um ou dois links de vídeos que me mandam, respondo o indispensável e tchau. Sinto falta de ter tempo de ficar lendo e lendo na tela, preparando posts monstruosos, mas acho que foi uma época que acabou. Isso porque ainda não caí de cabeça na minha dissertação de mestrado, a mal falada. Mas no meio disso tudo não deixo vocês - que hoje são muito poucos. Mas me dá prazer ter um blog, de qualquer modo.

Esses dias, por motivos que não vou abrir ainda, fui comprar umas pecinhas de roupa novas. Resolvi não me estressar e não ficar ficar xingando as minhas formas: fui numa loja de roupa para gordinhas mesmo. Aqui em PoA temos umas poucas lojas para gordinhas com menos de 65 anos e foi numa dessas que eu fui. Uma delícia. Poder escolher as peças pela beleza e pelo que tivessem a ver comigo e não pelo perigosíssimo critério: "você tem do meu tamanho?" E sabe, eu estou gorda, mas não sou exatamente um mamute. Não preciso de uma tenda de circo para me vestir. Essas roupas poderiam estar tranquilamente nas araras das lojas ditas de roupas ditas "comuns", porque as pessoas acima do peso não são uma minoria tão insignificante em nosso estado. Mas é que as lojas para gordinhas outro diferencial, né? O preço. Com os mesmos dinheiros com que comprei oito peças para o magérrimo Esposo há um mês, levei apenas três peças. Claro, se gasta taaaaaanto tecido a mais... Como diria minha querida amiga I., é um cu.
De qualquer modo, foi uma compra que valeu. Só não fiquei mais feliz (e não levei mais) porque a lojinha "muderna" está seguindo à risca a modinha atual, cujas cores berrantes e padronagens escandalosas não agradam muito meu gosto de perua clássica. Nada é perfeito.

2 comentários:

Lid disse...

Gata, seguinte: fico MUITO feliz por tudo, mesmo. Pelas roupas, pelo esposo, por tudo... Que Deus te guarde e te proteja. Um beijo muito grande.

ro salgueiro disse...

Infeeerno comprar roupa, de um modo geral. Na Levi's não piso mais. Depois conto.