domingo, fevereiro 13, 2011

Sobre lamentos y otras cositas

Então, se algum de vocês ficou curioso sobre a minha aula de dança cigana de ontem (eu ainda não me recuperei dela, como podem ver), posto aqui duas das músicas "trabalhadas" em aula. Seguem as letras pra quem não é gaúcho e não tá acostumado a pegar espanhol à unha (entender espanhol é outra coisa, teoria minha).

Primeiro essa cançãozinha quase meiga, que você até acha que vai ser uma coisa feliz quando começa. Aí vem o canto e a letra rasgando tudo até a alma e salve-se quem puder.



Recuerdo tu imagen alejandose
La tierra se hundia bajo de mis pies
Fui callendome al vacio
Sin poderme agarar a la vida

Como pude imaginarme
Que tenia algo que darte tenia algo que darte
Yo en mi madurez y tu
En tu plena juventud
Los anos no perdonan

Solo te ruego que me des
Una noche de amor
Solo pido Una Noche Mas

É, foi essa mesma que me fez chorar. Os comos e porquês não são da conta de ninguém.:P

Mas a minha preferida ainda é essa aqui:



yo bebo y bebo y bebo para olvidarte
yo duermo y duermo y duermo para no pensar
maldito mundo
vivir para pagar por el pecado de amarte
maldita tu
sueltame

te digo que vida no tengo
y es por tu culpa
las noches igual que los días
de soledad
oh dio mio
ayúdame para matar este amor
que está en mi corazón
bendito dio sálvame

solo caminando en el camino de este mundo
y no tengo más fuerza para luchar
pensaba que amarte fue el remedio del dolor
pero el dolor se hizo grande más y más
te dejo para siempre vida mia no te olvides
que soy hombre que existe para ti
y el cante de mi vida te regalo para siempre
hasta que llegue el día del morir

Tá, vocês podem argumentar que a letra a torna uma excelente trilha sonora para um suícidio, vá lá. Podem até achar um tanto brega.
E "amar" não é a palavra sobre o que eu sinto com isso. A questão é que faz parte de mim. Com um tanto de sangue cigano e uma grande possibilidade de outra de sefardi, talvez possamos culpar a genética.
Quando o ritmo da música acelera e o cajonero começa a se enlouquecer, meu coração sai pela boca, fica orbitando alguns minutos em torno do corpo pra só voltar depois...

É, sou louca e acho que não tenho cura, não. Nem quero.

4 comentários:

Rubi disse...

Se tem uma cura que eu também não quero é essa! Um brinde as emoções que saltam desse peito! E a segunda música, nossa... chorei!

Anisah Parvaneh Bellydancer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anisah Parvaneh Bellydancer disse...

Muito chorante isso tudo aí... E belo, como tudo que é triste...

Cacá disse...

Gostei das duas, mas a primeira nossaaaaaaa.